Fintechs de crédito: análise financeira de 13 empresas do setor

Nos últimos anos vimos nascer um novo fenômeno no mundo financeiro: as fintechs. Aproveitando os gaps deixados pelos grandes players e a ascensão das novas tecnologias, estas empresas vieram equipadas com desenvolvimento lean, norteadas pela receita previsível e regadas de dinheiro de Venture Capital. Meios de pagamento, bancos digitais, câmbio e empréstimos são os principais setores onde elas estão. Recentemente fizemos um estudo muito legal sobre meios de pagamento, indo na mesma linha, desta vez vamos trazer análises das demonstrações financeiras de empresas muito quentes: as fintechs de crédito.

Fintechs de Crédito: quem são e do que se alimentam?

As fintechs de crédito são aquelas especializadas na concessão de crédito para pessoas físicas e jurídicas, melhorando o acesso a empréstimos e/ou flexibilizando garantias. Estas empresas, além de terem um trabalho diário de captação de clientes também precisam estar recorrentemente captando dinheiro para realizar empréstimos. Algumas contam com estruturas mais sofisticadas, com securitizadoras próprias habilitadas a emitir debêntures de forma pública e pulverizada, outras captam diretamente com grandes investidores institucionais ou até trabalham de forma “peer-to-peer”.

Neste estudo selecionamos somente empresas que entendemos ter um cunho tecnológico e não incluímos bancos digitais (serão cenas dos próximos capítulos). Segmentamos as empresas da seguinte forma:

Fintechs de crédito focadas em pessoa física (PF):

São aquelas mais dedicadas a conceder crédito para pessoas físicas. Em nosso estudo, conseguimos analisar financeiramente as seguintes empresas:

Nu Financeira: O Nubank já te ofereceu crédito? Então, a Nu Financeira é a empresa do banco que operacionaliza o empréstimo. Neste artigo analisamos os balanços dela de forma individualizada, ela virou efetivamente operacional em 2019 então métricas de crescimento médio estão muito influenciadas mas a margem líquida até o último resultado publicado era de -17%.

NoverdeStartup de crédito que recebeu investimento da Domo Invest, faz análise de crédito e pessoas físicas em tempo real. Faturamento na casa dos 10 milhões, crescimento de 78% e margem EBITDA de 18%.

Credpago: Startup focada em fiança locatícia por cartão de crédito investida pelo BTG. Receita líquida de 30 milhões, com crescimento de 223% e margem EBITDA de 50%. Indicadores de um superstar financeiro que está se formando.

GeruAssim como a Noverde, a Geru faz empréstimo pessoal online. Receita líquida de 28 milhões, crescimento de 50% mas atua com queima de caixa, EBITDA de 55 milhões de reais negativos. Possuem uma securitizadora própria, que dá respaldo financeiro para as operações de crédito que realizam. Neste link disponibilizamos as demonstrações financeiras.

Fintechs de crédito focadas em pessoa jurídica (PJ):

Focadas em atender empresas fornecendo capital de giro e adiantamento de recebíveis. Algumas empresas utilizam parceiros de peso como canais de vendas para atingir escala com maior rapidez, é o caso da Biva e da Supplier, outros usam modelos alternativos de captação, como é o caso da Nexoos.

Biva: Fintech da PagSeguro que opera num modelo peer-to-peer, sendo um intermediário faz a análise de crédito e conecta empresas tomadoras a investidores. Aproveitam toda a capilaridade que a PagSeguro tem para acessar clientes que estão na ponta da cauda longa. Para sustentar sua operação e garantir escala no volume de empréstimos criaram a Biva Securitizadora. No balanço dela conseguimos verificar um crescimento muito alto porém prejuízo de R$ 960.000 (-1.9%)

Supplier: Fintech da TOTVS que fatura na casa dos 170 milhões, crescimento anual de 25% e margem líquida de 14%. Integrada com a TOTVS, a tese dessa parceria é utilizar os dados financeiros dos clientes da gigante de tecnologia para oferecer limites pré-aprovados e também, assim como a Biva, utilizar sua capilaridade como canal de distribuição de seus serviços.

Nexoos: Startup investida pela Porto Seguro (assim como nós da Klooks). É especialista em crédito PJ e utiliza de uma lógica de financiamento peer-to-peer. Em linhas gerais, você seleciona em qual empresa quer investir e o retorno vai variar de acordo com o risco. No entanto, parece que existem mais pessoas querendo dinheiro emprestado do que querendo investir pois recentemente captaram 25 milhões em debêntures, provavelmente para investir em seus clientes. Além disso, notamos que em 2018 a Nexoos fez uma parceria com a Vert formando a Vert-Nexoos Securitizadora, a qual teve receita de aprox 3 milhões (neste link disponibilizamos o balanço), o que denota também um movimento mais sofisticado de captação de recursos.

Fintechs de crédito que atuam em ambos PF e PJ

Certas empresas atuam tanto na ponta de pessoas físicas quanto de jurídicas, aplicando tecnologia de análise de crédito para disponibilizar limites automáticos.

QueroQuitar!: Reduz a burocracia e atritos no reparcelamento de dívidas servindo como intermediário entre tomadores e financiadores. Também oferece crédito.

Creditas: Especializada em financiamento com veículo e imóvel como garantia, recentemente recebeu 255 milhões de dólares em investimento.

Securitizadoras

A securitização de créditos é uma atividade antiga e não necessariamente engloba empresas de alto teor tecnológico. Aqui selecionamos uma empresa que nos chamou atenção por estar intimamente ligada com a evolução das startups.

Vert: Especializada em securitização de títulos. Notamos que ela faz parceria com diversas startups, aparentemente funcionando como um trampolim para que estas empresas acessem dinheiro no mercado através da emissão de debêntures, CRI, CRA e FIDCs. Eles criam um CNPJ novo para cada parceria, alguns casos são:

  • Vert-Nexoos: CNPJ 30.418.658/0001-89
  • Vert-Gyra: CNPJ 32.770.457/0001-71
  • Vert-Zippi: CNPJ 32.683.702/0001-03
  • Vert-Leve: CNPJ 36.699.688/0001-97
  • Vert-Provi: CNPJ 34.469.625/0001-19
  • Vert-Inmano: CNPJ 36.373.292/0001-55
  • Vert-Alume: CNPJ 38.352.122/0001-10

A Vert Companhia Securitizadora, que entendemos ser a “empresa-mãe”, apresenta receitas na casa dos 4 milhões de reais com lucro líquido de 800 mil reais. Neste link disponibilizamos as demonstrações financeiras da empresa.

Visão geral

Neste link disponibilizamos um dashboard que permite explorar dados financeiros segmentados dentro do universo de fintechs de crédito. Destaques:

  • Fintechs de crédito focadas em pessoas físicas crescem 150% ao ano, bem mais que as de pessoas jurídicas que ficam em 24% ao ano
  • Em compensação as empresas que trabalham mais focadas em PJ tem margens maiores, de 14.33% na mediana (contra -7% das focadas em PFs)

Apesar de já ter diversos players operando nas mais diversas especificidades, as fintechs de crédito estão cada vez se sofisticando mais e criando mais condições de desafiar os grandes bancos nos segmentos “mainstream” dentro do universo de empréstimos. Vimos muito movimento de venture capitals financiando esta expansão nos últimos anos, a tendência é vermos uma progressão de IPOs e de aquisições de fintechs por players estratégicos nos próximos anos.

Se você for nosso cliente e quiser acesso a estes demonstrativos financeiros, é só entrar em contato com seu gerente de conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *